Bomba! Ministro ordena bloqueio de redes sociais e WhatsApp de críticos do STF

Publicado em 16 abr 2019

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o bloqueio de contas em redes sociais e do WhatsApp de sete pessoas investigadas por publicarem ofensas contra a Corte. Em decisão sigilosa, o magistrado diz que foram verificadas mensagens com “conteúdo de ódio e de subversão da ordem” direcionadas ao STF. Os suspeitos foram alvos de buscas e apreensões realizadas pela Polícia Federal no Distrito Federal, em Goiás e em São Paulo nesta terça-feira, 16.

A medida é resultado de uma investigação instaurada a pedido do presidente da Corte, ministro Dias Toffolli, em 14 de março. O objetivo desse inquérito, relatado por Moraes, é apurar notícias falsas, denunciações caluniosas e ameaças que “atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares”. Uma das postagens que entraram na mira do STF foi publicada por um policial civil do estado de Goiás com o seguinte teor: “O nosso STF é bolivariano, todos alinhados com os narcotraficantes e corruptos do país. Vai ser a fórceps”. Em outra mensagem, o suspeito diz: “O Peru fechou a corte suprema do país. Nós também podemos. Pressão total contra o STF”. O ministro chama a atenção para o fato de o envolvido andar “constantemente armado”.

Em outro caso, o investigado disse nas redes sociais que o “STF soltou até traficante” e que “é desanimador o fato de tantos brasileiros ficarem alheios ao que a quadrilha STF vem fazendo contra a nação”. Segundo o ministro Alexandre de Moraes, essas publicações revelam uma “propaganda com o objetivo de alteração da ordem política e social”.

Entre os alvos também está o general da reserva Paulo Chagas. Segundo o ministro do Supremo, ele fez “postagens nas redes sociais de propaganda de processos violentos ou ilegais para a alteração da ordem política e social, com repercussão entre seguidores”. Moraes diz que o “investigado defendeu a criação de um Tribunal de Exceção para julgamentos do Ministros do STF ou mesmo substituí-los”.

No mandado de busca, o ministro Alexandre de Moraes ordena à Polícia Federal apreender computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos encontrados nas casas dos suspeitos. O magistrado também determina que a PF tenha acesso a “documentos e dados armazenados em arquivos eletrônicos” e que colha os depoimentos de todos os alvos da operação.

Veja

Incêndio atinge a Catedral de Notre-Dame, em Paris

Publicado em 15 abr 2019

Um incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, foi confirmado nesta segunda (15) pelo corpo de bombeiros, segundo a agência de notícias Reuters. O fogo foi relatado primeiro por usuários em redes sociais. Não ficou imediatamente claro o que causou o incêndio. A televisão France 2 relatou que a polícia estava tratando o incidente como um acidente.

Foi possível ver fumaça saindo do topo da catedral medieval, enquanto as chamas saíam das duas torres dos sinos, afirmou uma testemunha da Reuters.

Uma grande operação dos bombeiros está tentando controlar as chamas, que afetam sobretudo a torre central da catedral, que é visitada por milhares de pessoas todos os dias. A polícia isolou a área e está retirando os muitos turistas que estavam dentro da catedral, de acordo com a EFE.

A catedral, que remonta ao século 12, é famosa por aparecer no romance clássico de Victor Hugo, “O Corcunda de Notre-Dame”.

G1

Bolsonaro acaba com política de aumento real do salário mínimo

Publicado em 15 abr 2019

O governo do presidente Jair Bolsonaro propôs nesta segunda-feira (15) que o salário mínimo seja corrigido apenas pela inflação em 2020. Na prática, a medida, que depende de aval do Congresso, encerra a política que permitia ganhos reais aos trabalhadores, implementada nas gestões do PT e em vigor até este ano.

A proposta que traça as diretrizes para o Orçamento do ano que vem, enviada nesta segunda ao Legislativo, prevê que o piso de salários no Brasil será de R$ 1.040 a partir de janeiro de 2020, o que representa uma correção de 4,2% referente à estimativa para a variação da inflação. Hoje, o valor está em R$ 998.​

No texto do projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2020, o governo ainda ampliou a previsão de rombo fiscal para o ano que vem, dos atuais R$ 110 bilhões de déficit para um resultado negativo de R$ 124,1 bilhões.

A política de valorização do salário mínimo foi implementada no governo Lula (PT) e transformada em lei por sua sucessora Dilma Rousseff (PT). A regra, entretanto, teve validade encerrada em janeiro deste ano.

No cálculo vigente até o reajuste de 2019, o salário mínimo foi corrigido levando em conta a inflação no ano anterior somada ao PIB de dois anos antes, o que permitiu alta real em períodos de crescimento econômico.

Se o valor de 2020 mantivesse o mesmo cálculo, seria acrescido 1,1% ao reajuste, referente ao crescimento do PIB de 2018.

A decisão de acabar com os ganhos acima da inflação está em linha com uma das bandeiras do ministro da Economia, Paulo Guedes, que defende uma ampla desvinculação do Orçamento.

Com a medida, que precisará ser aprovada pelo Congresso, o governo ainda ganhará uma folga nas contas públicas.

O aumento do salário mínimo reajusta automaticamente benefícios Previdenciários. Pelas contas da equipe econômica, para cada R$ 1,00 de aumento no valor do mínimo, o governo amplia cerca de R$ 300 milhões nas despesas anuais.

O secretário especial de Fazenda da Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou que o valor do mínimo previsto no projeto não significa uma mudança na política de reajuste salarial do governo.”Em termos de definição de politica salarial, o governo tem até 31 de dezembro deste ano [para enviar uma proposta ao Congresso]”, disse.

Folha de S. Paulo

Câmara Federal discute jornada de trabalho da enfermagem a pedido de Anastácio

Publicado em 14 abr 2019

A Câmara Federal realizará uma audiência pública nesta terça-feira (16), às 9h, no plenário 9, com o objetivo de debater o Projeto de Lei 2295/2000, que dispõe sobre a jornada de trabalho de 30 horas para Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem em todo o Brasil.

A propositura é do deputado federal paraibano Frei Anastácio (PT), com subscrição de mais quatro parlamentares: Patrus Ananias (PT/MG), Maria do Rosário (PT/RS), Erika Kokay (PT/DF) e Luiza Erundina (PSOL/SP). A Audiência Pública será realizada através da Comissão de Legislação Participativa.

Segundo Frei Anastácio, as discussões sobre a jornada de trabalho de 30 horas para a enfermagem surgiram a partir de pedido feito pela direção do Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren), através de ofício, assim que ele assumiu o mandato. Já a audiência pública, para debater o assunto, surgiu a partir de solicitação do Conselho Federal de Enfermagem, em reunião realizada em nosso gabinete, em Brasília.

O deputado informou que além da audiência pública, já solicitou uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para tratar sobre a votação do Projeto de Lei 2295/2000, que está na casa pronto para ser votado, uma vez que já passou pelo Senado.

“Assim que o presidente da Câmara marcar a data da reunião, iremos formar uma comissão de representantes da enfermagem para participar da audiência. Acredito que esse projeto, depois de 18 anos de tramitação poderá finalmente ser votado pela Câmara. A decisão de levar o projeto para votação é do presidente da Casa. Por isso, é muito importante a mobilização da enfermagem em torno do assunto”, afirmou.

O parlamentar disse que a audiência pública de terça-feira, com participação de representantes da enfermagem de todo o Brasil, será muito importante para mostrar aos deputados, autoridades e a sociedade brasileira, o papel importante que enfermeiros, técnicos e auxiliares têm para o bom funcionamento de qualquer unidade de saúde. “Mostrar também, que não é justo outras categorias que trabalham na saúde já terem cargas horárias menores e esses profissionais ficarem de fora”, afirmou.

Assessoria

Entidades discutem atuação conjunta contra Reforma da Previdência

Publicado em 11 abr 2019

Dirigentes sindicais discutiram, durante reunião nesta quarta-feira (10), uma atuação conjunta em relação à proposta encaminhada pelo governo federal para a Reforma da Previdência. A reunião aconteceu na sede do Sindicato dos Servidores do Ministério Público da Paraíba (SINDSEMP-PB), em João Pessoa,

De acordo com o presidente do SINDSEMP-PB e da regional Nordeste da ANSEMP eleito, Daniel Guerra, uma nota oficial será publicada pelas entidades com o posicionamento em relação à reforma, além da divulgação de informações sobre pontos considerados cruciais da proposta que visam mudar profundamente as regras para a aposentadoria. “Nosso objetivo é deixar a população ciente das ameaças que a proposta, do jeito que aí está, representa, e que a classe trabalhadora se mobilize para protestar contra essa medida danosa ao povo brasileiro”, destacou.

Daniel adiantou que as entidades levarão esse posicionamento aos membros da bancada federal paraibana, através de reuniões que serão agendadas tanto na Paraíba, quanto na Capital federal. “Levaremos a nossa preocupação em relação às inconsistências nas argumentações  levantadas pelo governo, e pediremos aos congressistas que tenham responsabilidade e rejeitem essa proposta do jeito que foi apresentada”, arrematou.

Segundo o coordenador executivo da Fenamp, Aloysio Carneiro Júnior, a unificação de agendas e o estabelecimento de pautas comuns entre os demais poderes fortalece a luta pelo direito a uma aposentadoria justa e digna. Ele disse ainda que a entidade está em sistema de plantões em Brasília, visitando os líderes de partidos e participando de plenárias e reuniões para evitar que direitos dos trabalhadores sejas excluídos do texto do projeto da reforma da Previdência.

Além de Daniel Guerra e Aloysio Carneiro Júnior, participaram da reunião, o presidente da Astaj, José Ivonaldo e o presidente do SINDOJUS, Benedito Venâncio Júnior.

PARLAMENTO PB

Prefeitos fazem protesto no STF pela redistribuição dos royalties do petróleo

Publicado em 10 abr 2019

Mais de mil prefeitos fizeram uma mobilização em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, nesta terça-feira (9), cobrando definição sobre as novas regras de distribuição dos royalties do petróleo contidas na Lei 12.734/2012. Com direito a bolo de aniversário, os gestores cantaram parabéns para os seis anos que o processo encontra-se na Casa sem definição e ainda protocolaram um ofício, pedindo para serem recebidos em audiência e solicitando que a matéria fosse colocada em votação.

A mobilização contou com prefeitos de todo o Brasil, mas foi capitaneada pela Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup). A proposta foi defendida pelo presidente da entidade, o prefeito do município de Sobrado, George Coelho, na reunião do Conselho Político da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), na última segunda-feira (8), durante a 22ª edição da Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.

“Nossa Paraíba é pequena, mas é aguerrida. Esse movimento nasceu de uma reunião dos prefeitos paraibanos na semana passada. Viemos para Brasília para realizar esse protesto e agora o resto do Brasil se une aos paraibanos. A luta faz parte da nossa historia”, comentou George.

Nova distribuição – Há seis anos em uma decisão monocrática na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4917, ajuizada pelo governador do Rio de Janeiro, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia suspendeu, em caráter cautelar a legislação. A lei provoca uma nova distribuição de valores. Caso a lei comece a valer, a Paraíba receberá R$ 4 bilhões por ano em royalties e mais R$ 500 milhões referentes a multas.

George Coelho lembrou que o movimento que resultou na PEC 391/2017, que garante o acréscimo de 1% ao FPM no mês de setembro também partiu da Paraíba, com um movimento na Praça do Meio do Mundo.

Marcha dos Prefeitos – A Marcha é considerada um dos maiores eventos políticos da América Latina e será realizada de 8 a 11 de abril, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília. A data coincidirá com os 100 dias do governo federal. O evento reúne, além de representantes municipais, ministros, deputados e senadores.

FONTE: Parlamento PB

Programa Rádio Vivo da Rádio Alto Piranhas de Cajazeiras realiza enquete e população reprova os 100 primeiros dias do Presidente Jair Bolsonaro. Veja

Publicado em 9 abr 2019

O programa Rádio Vivo da Alto Piranhas realizou na tarde desta terça – feira (09) uma enquete com os ouvintes de Cajazeiras e da região, onde a população teve a oportunidade de opinar livremente sobre a gestão dos 100 dias do presidente da República Jair Bolsonaro.

A enquete durou 25 minutos, com vários ouvintes de Cajazeiras e região e de outros estados como: Rio Grande do Norte, Ceará e também do Vale do Piancó. Fizeram sua avaliação do governo Bolsonaro, através dos telefones e WATSSAP.

A pergunta feita pelos apresentadores: Alberto Dias e Saul Soares: Qual sua avaliação dos primeiros 100 dias da gestão do Presidente Jair Bolsonaro. Veja os Números

Aprovado – 4 votos

Reprovado – 42 votos

O objetivo da enquete foi somente para saber como a população tem visto o inicio da gestão do Presidente da República Jair Bolsonaro. Amanhã o governo de Jair Bolsonaro completa 100 dias a frente do País.

Fonte: Alberto Dias

CLICK CZ

Senado instala na quarta-feira comissão que acompanhará Previdência

Publicado em 8 abr 2019
Plenário do Senado aprova urgência para projeto com isenção tributária para o diesel.

A Comissão Especial do Senado destinada a acompanhar a tramitação, na Câmara dos Deputados, da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) começará a funcionar na próxima quarta-feira (10).

Inicialmente, o colegiado, que não tem poder deliberativo, foi criado com apoio do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), com a expectativa de que o texto da proposta vá da Câmara para o Senado já contemplando questões consideradas importantes pelos senadores, que fariam sugestões aos deputados. Dessa maneira, alguns senadores acreditam que o mesmo texto aprovado na Câmara poderia ser confirmado pelo Senado, sem necessidade de alterações, que levariam a proposta para nova análise dos deputados.

Essa ideia chegou a ser defendida tanto por Alcolumbre quanto pelo relator da comissão, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), mas a poucos dias da instalação o presidente  do colegiado, senador Otto Alencar (PSD-BA), negou à Agência Brasilque os senadores tenham a intenção de fazer sugestões aos deputados.

“Não haverá nenhuma interferência nas decisões da Câmara, que tem toda a autonomia”, disse Alencar. O senador afirmou ainda que nada será sugerido aos deputados. A intenção, acrescentou, é acompanhar os debates em torno da proposta de modo a facilitar o entendimento quando o texto chegar ao Senado.

Trabalhos

Segundo Otto Alencar, o colegiado, que tem nove titulares e o mesmo número de suplentes, não foi instalado na semana passada porque os senadores querem ouvir o secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Ele acompanhou o ministro da Economia, Paulo Guedes, na audiência da Comissão de Constituição e Justiça.

Na quarta-feira, ainda não há confirmação da presença de Marinho ou do secretário de Previdência do Ministério da Economia, Leornado Rolim, que também foi convidado pelo Senado. Otto Alencar acredita que pelo menos um deles estará na comissão.

“Queremos um detalhamento de pontos da PEC e da proposta que reforma a Previdência dos militares”, adiantou o senador.  Alencar lembrou o jantar que líderes de partidos e o presidente do Senado tiveram no fim de março com o comandante do Exército, General Edson Leal Pujol. Na ocasião, os militares apresentaram a proposta, mas “não foram claros”, disse ele.Os senadores também querem ouvir representantes da indústria e de sindicatos sobre o projeto.

Agência Brasil

Receita abre consulta a lote da malha fina do IR

Publicado em 8 abr 2019

A Receita Federal abre hoje (8) consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física de abril. Ao todo, serão desembolsados R$ 210 milhões para 91,3 mil contribuintes que estavam na malha fina das declarações de 2008 a 2018, mas regularizaram as pendências com o Fisco.

A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

As restituições terão correção de 6,64%, para o lote de 2018, a 108,76% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração no próximo dia 15. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Agência Brasil

AS PRINCIPAIS MANCHETES: O ministro na CCJ da Câmara. As viagens do presidente. Os métodos na taxa de desemprego. As mudanças no WhatsApp. CPI para investigar cartel em postos de combustíveis de Campina Grande E outras coisas mais – Confira

Publicado em 4 abr 2019

A discussão na Câmara

Um bate-boca suspendeu ontem à noite a audiência na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara sobre a reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro. A discussão aconteceu entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o deputado Zeca Dirceu, do PT. / Folha

A opção no benefício

Guedes disse na audiência que as mudanças no BPC previstas na reforma da Previdência poderão ser opcionais. O benefício destinado a idosos pobres ou pessoas com deficiência poderá ser de um salário mínimo, R$ 998, pago a partir dos 65 anos, como é hoje, ou de R$ 400, pago a partir dos 60 anos, como prevê a proposta. / Poder360

A articulação política

Bolsonaro se reúne a partir de hoje com presidentes de pelo menos nove partidos. Espera-se que as conversas tratem de um convite para essas legendas fazerem parte da base aliada e também de uma possível distribuição de cargos, possibilidade citada pelo vice Hamilton Mourão. / O Globo

As viagens presidenciais

Bolsonaro voltou ontem à noite de sua viagem oficial a Israel, tornando-se assim o presidente que mais passou tempo fora do país em seus primeiros 100 dias de governo desde a redemocratização. Este texto traz análises sobre a importância dos compromissos internacionais no geral e a relevância das agendas do atual mandatário. / Nexo

A lógica da taxa

O presidente criticou em entrevista à TV Record a metodologia usada para calcular a taxa de desemprego no Brasil e defendeu novas abordagens. Este texto mostra quais os problemas na declaração do presidente, qual a lógica do IBGE e por que é importante seguir padrões internacionais, como é feito atualmente. / Nexo

Derrota de Erdogan

Resultados preliminares indicam que o Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco), do presidente Recep Tayyip Erdogan, foi derrotado nas eleições locais de domingo nas três maiores cidades da Turquia. O opositor Partido Popular Republicano, secular, cresceu. / Folha

‘Colapso’ na Venezuela

Relatório publicado hoje pela Human Rights Watch e a Faculdade Bloomberg de Saúde Pública da Universidade John Hopkins afirma que a Venezuela vive um “colapso total do sistema de saúde”. As duas instituições pedem uma ação urgente das Nações Unidas no país. / Nexo

A mudança no WhatsApp

O WhatsApp mudou as regras do aplicativo. Agora, o usuário vai poder decidir previamente de que grupos quer participar, sem ser incluído de forma automática. Os grupos são um dos principais meios de circulação de notícias falsas. Ouça no podcast “Durma com essa” quais são os impactos da medida. / Nexo

CPI para investigar cartel em postos de combustíveis de Campina Grande

A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou o requerimento solicitando a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os preços dos combustíveis na cidade. A comissão vai apurar a denúncia de possível prática de cartel na comercialização dos combustíveis e os preços abusivos praticados na cidade.

Por Silvano Dias com Fonte 83

Cunha possui gravações que poderão enterrar de vez ex presidente Michel Temer

Publicado em 2 abr 2019

Fontes do planalto informaram que Temer desconfia de supostas gravações que estariam em poder do ex-deputado Eduardo Cunha, acusado de corrupção na Operação Lava-Jato.

A suspeita surgiu de um encontro recente com Cunha no Palácio do Jaburu, residência oficial de Temer.

Cunha teria ‘alertado’ Temer sobre certas parcerias dos dois no passado.

O ex presidente teria reagido às indiretas do deputado, segundo relato uma pessoa ligada a um assessor do peemedebista.

A ligação entre os dois não é algo recente. O político Ciro Gomes já se denunciou várias vezes que a dupla atuava em conjunto.

De acordo com Ciro, Cunha comercializava leis sob as “bençãos” de Temer, presidente da Casa entre 2009 a 2010.

Para piorar ainda mais as coisas, em dezembro de 2015 o PRG Rodrigo Janot chegou a reunir provas em que Michel Temer (PMDB) teria recebido R$ 5 milhões do dono da OAS, José Adelmário Pinheiro, um dos empreiteiros condenados no escândalo de propinas da Petrobras.

Em uma troca de mensagens via WhatsApp entre Pinheiro e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aparece uma “menção” em que Cunha reclama que o empreiteiro pagou a Temer e deixou “adiado” o repasse a outros líderes do PMDB.

Eduardo Cunha questionou o dono da OAS por ter pago R$ 5 milhões para Temer e deixado o resto da ‘turma’ a ver navios, afirmou o PGR, conforme a reprodução feita no documento assinado pelo ministro do STF, Teori Zavascki.

FONTE: Jornal do País

Em Jerusalém, Bolsonaro dá sete tiros de metralhadora e acerta todos

Publicado em 2 abr 2019

A habilidade de Jair Bolsonaro (PSL) com armas durante visita à Unidade de Contraterrorismo da polícia de Israel chamou a atenção de jornalistas locais que acompanhavam a agenda do chefe de Estado brasileiro. O presidente da República pediu para praticar tiros ao alvo e acertou todas as sete tentativas.

Questionado sobre o destaque que Bolsonaro teve na mídia israelense, o porta-voz da presidência, general Otávio do Rêgo Barros, elogiou o desempenho do titular do Palácio do Planalto. “O que eu posso dizer é: não fiquem na frente do presidente”, comentou em tom de brincadeira. “Ele tem uma habilidade e uma calma impressionantes com uma arma”, frisou.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente, acompanhou o pai no compromisso e também praticou tiros ao alvo. A visita foi agendada após convite do ministro de Segurança Interna de Israel, Gilad Erdan.

Bolsonaro está em Jerusalém, capital política de Israel, desde o último domingo (31/3) e cumpre uma extensa agenda de compromissos. A visita presidencial tem por objetivo aproximar as duas nações.

Acordos
O Brasil assinou acordos de cooperação em diferentes áreas com Israel nesse domingo, durante visita do presidente Jair Bolsonaro ao país. Entre eles, o que busca promover pesquisas científicas e tecnológicas em conjunto e o desenvolvimento de projetos.

O acordo vigente entre as duas nações data de 1962 e, segundo a comitiva do governo brasileiro, precisava de uma atualização para “permitir uma maior interação entre os países”. “Essa cooperação permitirá ao Brasil se aproximar ainda mais do seleto grupo dos que melhor aplicam a ciência, a tecnologia e a inovação na produção de potencial econômico e na melhoria da qualidade de vida para a população”, informaram representantes do Executivo federal.

Além de ciência e tecnologia, foram assinados acordos nas áreas de segurança pública, defesa, serviços aéreos, cibersegurança e saúde.

No mesmo dia, o governo brasileiro anunciou a abertura de um escritório de negócios do Brasil em Israel. A medida, no entanto, desagradou a Autoridade Palestina, que convocou o embaixador no Brasil. Do outro lado, frustrou expectativas do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que espera a mudança da embaixada da capital internacional, Tel Aviv, para JerusALÉM.

FONTE: Metrópoles