Wallber compara Marcha da Maconha a atentados no STF e pede proibição da manifestação ao MPPB

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, Wallber Virgolino (PL), se posicionou contrário a realização da Marcha da Maconha, em João Pessoa , agendada para o dia 10 de junho. Durante discurso na tribuna da ALPB, Virgolino disse que vai apresentar requerimento ao Ministério Público pedindo o cancelamento da manifestação.

“Essa marcha da maconha é apologia ao crime. É você dizer para jovens e adolescentes que o uso da maconha é legal. Droga danifica o organismo, degrada a família e acaba com a sociedade. Com a legalização da maconha, Fernandinho Beira-Mara e Marcola ao invés de ser traficante vai ser contrabandista. Somos um país conservador onde não temos leis e instituições fortes nem estrutura das polícias para combater o tráfico, argumentou.

De acordo com Wallber, a marcha faz apologia ao uso da maconha. Para ele, a manifestação é afronta às instituições e à sociedade tanto quanto as manifestações de 8 de janeiro em Brasília.

“A gente viu no dia 8 (janeiro) pessoas que foram presas porque vandalizaram e outras que não fizeram nada. Não temos  nada absoluto, tudo é relativo. A baderna no STF e no Congresso Nacional tem a mesma gravidade dessa marcha da maconha, que é afronta instituições e a sociedade”, completou.

Anderson Soares

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *